Mulher na FAB

Fiquei um tempo afastado do blog, mas agora volto com uma duvida que algumas leitoras do blog possam ter. Como, sendo mulher, posso ser piloto militar?

Nem sempre foi assim, minha mãe mesmo diz que se em sua época ela pudesse ingressar na Força Aérea, teria feito. Porém, não me lembro de datas, mas não faz muitos anos a FAB começou a aceitar mulheres para o CFOAV (Curso de Formação de Oficiais Aviadores). O processo para o ingresso é o mesmo do masculino que pode ser visto em outro post meu e as vagas não são divididas, se só mulheres completarem o quadro de vagas, será uma turma de mulheres, apenas.

Porém, uma coisa muito importante, não só para as mulheres, é ter a certeza que a carreira militar não é uma vida de dinheiro e luxos. Ao contrário disso o militar, desde praças até oficiais sofrem com uma remuneração baixa, pela responsabilidade que exercem. É muito importante ter a certeza que o ingresso, em qualquer força, é por amor, o dinheiro será o suficiente para viver de maneira confortável, mas sem luxos (sim, esqueça seu Camaro).

Recentemente a 1ª Oficial aviadora formada pela FAB a, a Primeiro Tenente Fabrícia Liane Souza Aguiar Oliveira, pediu baixa, pois foi aprovada em um concurso da CGU (Controladora Geral da União). Nenhuma declaração foi dada, mas o cargo na CGU tem um salário maior que, possivelmente, chega ao dobro do soldo de Primeiro Tenente. Porém, não podemos ficar criando hipóteses dos motivos, mas podemos ter a certeza que a vida militar não atendeu as expectativas da Tenente, e então procurou um novo rumo na vida. O que podemos tirar disso é que devemos pesquisar bem antes de tomar qualquer decisão em nossa vida.

Yuri Nunes

Anúncios