O adeus ao Tucano

No dia 31/03/2013 foi um dia muito especial para o Esquadrão de Demonstração Aérea, para à FAB e, também, para todos nós, Brasileiros. A memorável aeronave T-27 Tucano deixa a Esquadrilha da Fumaça para dar lugar ao A-29 Super Tucano.

Ao mesmo tempo, podemos sentir tristeza e alegria. A tristeza vem pelo fato de uma aeronave que foi tão importante para o Brasil e que acompanhou os bravos pilotos da Fumaça desde 1983, pouco mais de 29 anos em operação no esquadrão, vai ser desativada. A alegria vem com a renovação, com a possibilidade de manobras novas, como o Lancevak e ver o início de um novo capítulo da história do Esquadrão.

O T-27 teve uma longa história no esquadrão, onde passou por alguns acidentes. O mais importante foi no dia 16 de novembro de 1996 na cidade de Santos onde na subida para um Lancevak a asa do tucano se desprendeu da aeronave. O piloto, Oficial Aviador Renato Barreto conseguiu abandonar a aeronave após ter a certeza que o impacto seria em um local seguro. Porém nesse dia, todos os T-27 do mundo pararam, somente os vendidos à França e Inglaterra escaparam, pois foram pedidos com uma estrutura diferenciada em função do emprego dos mesmos. Em outras aeronaves foi verificado, na chapa dupla que ficava por baixo da aeronave e dava resistência à asa, grande fadiga e muitas delas estavam seriamente comprometidas. A solução foi trocar em todas as aeronaves que fossem sofrer grande pressão nas asas as chapas duplas, por uma chapa tripla, aumentando as dimensões e têmperas da peça. Aos poucos os Tucanos retornaram gradualmente ao voo, no ano de 97.

Espelho

Em 2002, após uma parada de dois anos para a revisão das aeronaves, a Esquadrilha da fumaça abandona o padrão de cores vermelho e branco e começa a ostentar as cores da bandeira nacional em suas aeronaves. O T-27, com certeza, deixará saudades àqueles que o conheceram, seu ronco jamais deixará de ecoar em nossas mentes, porém, já com aproximadamente 2300 apresentações em seu histórico, sua vida está chegando ao fim e nos deixará com a certeza que sua missão foi cumprida, demonstrando para o mundo a capacidade, não só dos pilotos, mas também da indústria aeronáutica brasileira.

Última apresentação – Sgt Johnson

O A-29 vem para dar continuidade a esse trabalho, um produto de ponta, produzido no brasil, cruzará os céus ostentando as cores e, agora também, a bandeira brasileira, apresentando o que o Brasil tem para oferecer como humano e máquina. Não existe previsão oficial para a primeira apresentação do A-29, mas estamos cada dia mais perto dela. Desde o dia 1º de Abril o EDA está se adaptando a nova aeronave, em entrevistas é dito que o período de adaptação será de pelo menos seis meses. Me atrevo a dizer, e é uma opinião minha sem base nenhuma além de minhas ideias, que espero muito uma apresentação com a nova aeronave no 7 de setembro em Brasília. Vamos aguardar, ansiosos, não só pela nova aeronave, mas também por um novo display que muito provavelmente irá trazer o Lancevak de volta aos nossos céus.

Vôo no novo padrão de cores

Yuri Nunes

Anúncios