Novo Projeto – AeroPortal

aeroportal_jpg

Bom dia, boa tarde, boa noite, conforme a ocasião, pilotos e futuros pilotos!

Como estão os senhores e as senhoritas? Espero que bem! Bom, estou fazendo esse post para anunciar meu novo projeto: o AeroPortal!

Como disse neste post, estava trabalhando em um novo projeto juntamente com grandes nomes da aviação na internet, e esse projeto finalmente ficou pronto! (Tudo bem que já faz 1 mês que ele está no ar, mas é agora que as coisas vão começar a funcionar como deveriam ;)). Trata-se do AeroPortal, um portal (ah vá) sobre aviação! Lá estamos colocando as principais notícias da aviação, bem como textos e colunas de grandes nomes da aviação brasileira, fotos, podcasts, vlogs e uma infinidade de outras coisas relacionadas à aviação. Os melhores geradores de conteúdo para aviação da internet estão lá! É uma grande conquista e um novo grande passo para a aviação na internet. Tudo de melhor está lá!

Portanto, gostaria de dizer que, oficialmente, o Blog Futuros Pilotos deixará os céus virtuais e vai finalmente pousar e ficar em exposição para todos os futuros pilotos! Os conteúdos aqui postados ficarão disponíveis sempre que vocês precisarem 😉 O foco agora está neste novo projeto, o AeroPortal. Então, todas as novas notícias, colunas, textos, podcasts, vlogs, fotos, tirinhas e tudo mais estarão em um único lugar, o AeroPortal! Faça uma visita no site e aproveite o melhor conteúdo sobre aviação da internet!

Novamente agradeço a todos pela atenção, pelo carinho, pelos comentários, feedbacks, e pelas visitas nesses quase 3 anos de blog Futuros Pilotos. Ah, e vou contar um segredo: lá no AeroPortal eu terei uma coluna falando sobre a carreira de piloto, então fica ligado lá que vai ser uma coluna muito legal e que com certeza vai ajudar muitos de vocês 😉

Obrigado pessoal, nos vemos lá no AeroPortal!

Abraço!

Fábio Miguel

É Notícia – David Neeleman

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Ontem, o programa “É Notícia”, apresentado pelo jornalista Kennedy Alencar e que vai ao ar todo domingo, após Dr. Hollywood pela RedeTV, teve a presença do Sr. David Neeleman, sócio fundador da Azul Linhas Aéreas. Até tentei avisar vocês pelo Twitter/Facebook, porém nem a minha internet WiFi, nem a internet do celular quiseram funcionar. Eu assisti as duas últimas partes do programa e agora trago até vocês a entrevista completa, que está disponível no site da RedeTV.

No geral, Neeleman falou da Azul e de como ele vê a aviação hoje: perspectivas de crescimento, análises do mercado, opiniões sobre a privatização dos aeroportos e sobre os eventos da Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 e muito mais. Para quem gosta do assunto e tem dúvidas, a entrevista vale a pena. Abaixo vocês conferem os links para os vídeos.

Primeira Parte

Segunda Parte

Terceira Parte

O WordPress não me deixa colocar vídeos que não sejam do Youtube, Vimeo e outros sites do gênero, por isso coloquei somente os link. Entretanto, com o novo blog, isso vai acabar 😉

Todos os conteúdos dos vídeos são de direito da RedeTV.

Futuro Piloto

Miguel

Conhecendo as Companhias Aéreas – Sol

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

E nesta semana vamos falar um pouco sobre uma nova companhia regional que está surgindo no país. Atualmente ela faz voos somente no estado do Paraná, mas está crescendo e não duvido que em breve esteja ocupando outros territórios nacionais. Estamos falando da Sol Linhas Aéreas.

Mais nova empresa brasileira de transporte aéreo regional, a Sol Linhas Aéreas é uma iniciativa de empreendedores paranaenses, que oferece alternativas de transporte aéreo adequadas à crescente demanda das principais concentrações urbanas do Estado e região Sul. Segundo o empresário Marcos Solano Vale, que lidera o empreendimento, as operações iniciam com voos diários entre Curitiba, Toledo e Umuarama. Novas linhas serão incorporadas gradativamente, integrando as cidades paranaenses aos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Oeste de Santa Catarina e Paraguai.

A Sol Linhas Aéreas nasce como uma contribuição ao desenvolvimento e integração regional. Temos o firme propósito de oferecer alternativas de voos compatíveis com a demanda, por um preço justo, com conforto, segurança e pontualidade, resume Marcos Solano. A Sol Linhas Aéreas opera inicialmente com cinco aeronaves turboélices adquiridas junto à Let Aircraft Industries, maior indústria de aviões da República Tcheca e uma das maiores do mundo. Mais de 1100 unidades do Let 410 já foram entregues e cerca de 300 unidades operam na América Latina.

O Let 410 para 19 passageiros, além de tripulantes, é o modelo mais avançado da linha de turboélices da Indústria Tcheca. É um bimotor de asa alta, desenvolvido especialmente para o transporte de passageiros e cargas em pequenas e médias distâncias. Seu trem de pouso extremamente robusto permite operações em diferentes pistas, assegurando que a aeronave opere com larga margem de segurança.

Para o passageiro, a principal característica do Let 410 é seu amplo espaço interno (19m3), sendo a cabine bem mais larga e alta do que a de outros aviões de seu porte. O tamanho das janelas e sua asa alta permitem ao passageiro uma visão panorâmica privilegiada durante o voo. A Sol Linhas Aéreas consolida um projeto delineado ao longo dos últimos cinco anos, por um grupo empresarial liderado por Marcos Solano Vale.

Um dos proprietários do Hospital de Olhos de Cascavel, referência em atendimento oftalmológico na região Sul do País. Além de integrar as diferentes regiões através de rotas e frequências compatíveis, a Sol pretende ampliar o número de usuários deste modal de transporte, prestando-se também a importante função de atuar como alimentadora dos grandes hubs de conexão aos serviços nacionais e internacionais.

Fontes:

Site SOL

Fonte das imagens: Google, R7, Voe por Menos, Site SOL, TMA Curitiba

Se alguma foi utilizada e não foi citada a referência, por gentileza, entre em contato conosco para que possamos atribuir os devidos créditos. Como uso o Google para procurar pela imagens, nem sempre é possível saber de qual site/pessoa ela pertence.

ATENÇÃO: O NOSSO INTUITO É DIVULGAR INFORMAÇÕES! EM MOMENTO ALGUM USAMOS AS IMAGENS E INFORMAÇÕES EM BENEFÍCIO PRÓPRIO OU COMO DE NOSSA AUTORIA.

———————————————————————————————————————————

Para ver os outros posts da série, clique aqui.

Gostou do post? Avalie clicando nas estrelas abaixo e no botão “like“. Compartilhe com seus amigos via redes sociais e deixe seu comentário 😉

Mais uma companhia apresentada aos senhores e senhoritas. Qual será a próxima? Sugestões? Enviem para blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Miguel

Conhecendo as Companhias Aéreas – RIO

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Na companhia desta semana vamos falar um pouco dessa nova empresa que está surgindo nos céus brasileiros: A RIO Linhas Aéreas.

A RIO Linhas Aéreas, é uma empresa voltada inicialmente e prioritariamente para o mercado de cargas aéreas, tendo iniciado seus estudos, análises e processos em 2007, visando estruturar uma empresa aérea inovadora, fortemente apoiada na tecnologia e dedicada aos seus clientes. É uma empresa de nível nacional certificada sob o RBHA 121 da ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil.


Por motivos estratégicos e visando a consolidação da empresa no mercado, a RIO optou pelo modelo de negócios ACMI (Aircraft, Crew, Maintenance and Insurance), Fretamentos e Alianças com operadores logísticos a fim de criar forte elo de complementação e adequabilidade dos negócios às necessidades de mercado.


Com a estratégia desenvolvida, a RIO LINHAS AÉREAS é uma companhia idealizada de forma a flexibilizar suas operações através do fornecimento de soluções específicas para cada segmento de mercado , tendo para isso, estruturado suas operações e frota com as mais adequadas aeronaves para cada necessidade.


Dentre os vários projetos da RIO, a prioridade está inicialmente no transporte aéreo doméstico e internacional de cargas, passando futuramente, se houver oportunidade de mercado, operar em rotas específicas e segmentadas para passageiros. A RIO não pretende apenas implementar seus propósitos comerciais e ser uma grande companhia aérea. Ela também espera ser reconhecida pela sua participação ativa em prol da humanidade, através de ações sociais e ambientais que visem à criação de um mundo melhor.

Com mais de 12.000 m2 de área estrategicamente localizada no Aeroporto Internacional Afonso Pena em São José dos Pinhais/Curitiba, a RIO Linhas Aéreas, possui uma completa infra-estrutura instalada, de onde se administra e controla as operações da empresa. Com as ações comerciais da RIO, esta ampliará sua estrutura à medida que se faça necessário, não só no Aeroporto Internacional Afonso Pena, como também nas diversas bases onde a empresa está agregando operações.


A Infra-estrutura do Rio Linhas Aéreas está baseada nos seguintes princípios:

  • Alta Disponibilidade; Escalabilidade e Flexibilidade;
  • Apoio às operações;
  • Segurança física e lógica das operações;
  • Equipe técnico-administrativa qualificada para gerenciamento proativo full service e full-time.

Consciente dos impactos ambientais decorrentes de sua operação, a RIO Linhas Aéreas, através da Fundação Comandante Rodrigues, oferece um programa que envolve a participação da empresa em projetos socioambientais, através de uma ação simples que visa a neutralização total ou parcial das emissões de gases de efeito estufa gerados pelas aeronaves.


Assim, a RIO pretende receber, espontaneamente e opcionalmente de cada cliente, uma contribuição que será destinada ao plantio de árvores, conservação de áreas naturais e programas de responsabilidade ambiental, visando posicionar-se como uma empresa de consciência ecológica, agregando maior credibilidade à sua marca. A cada contribuição efetuada, a empresa transferirá o recurso para um fundo de “Recursos Ambientais”, o qual será destinado exclusivamente à prática das ações propostas. O projeto contará com o apoio de organizações ligadas à preservação do meio ambiente, que também fiscalizarão a aplicação dos recursos destinados ao plantio de Araucárias através de relatórios de auditoria.

Fontes:

Site RIO

Fonte das imagens: Google, CNF Ao Vivo, TMA Curitiba, SBEG/MAO, Revista Flap e CWB SBCT Company

Se alguma foi utilizada e não foi citada a referência, por gentileza, entre em contato conosco para que possamos atribuir os devidos créditos. Como uso o Google para procurar pela imagens, nem sempre é possível saber de qual site/pessoa ela pertence.

ATENÇÃO: O NOSSO INTUITO É DIVULGAR INFORMAÇÕES! EM MOMENTO ALGUM USAMOS AS IMAGENS E INFORMAÇÕES EM BENEFÍCIO PRÓPRIO OU COMO DE NOSSA AUTORIA.

———————————————————————————————————————————

Para ver os outros posts da série, clique aqui.

Gostou do post? Avalie clicando nas estrelas abaixo e no botão “like“. Compartilhe com seus amigos via redes sociais e deixe seu comentário 😉

Mais uma companhia apresentada aos senhores e senhoritas. Qual será a próxima? Sugestões? Enviem para blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Miguel

Conhecendo as Companhias Aéreas – Avianca

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Nesta semana vamos falar um pouco de uma companhia relativamente nova aqui no Brasil, a AVIANCA. Ela entrou em operação no mercado doméstico brasileiro em 2010, onde a OceanAir passou a operar a marca Avianca.

Avianca é uma companhia aérea da Colômbia, sendo a mais importante do país. Foi a primeira linha aérea comercial de passageiros fundada na América e a segunda no mundo. É sexta maior companhia na América Latina. Atualmente pertence ao mesmo grupo que controla a brasileira Avianca Brasil, antiga OceanAir.

A Avianca é a primeira companhia aérea comercial fundada nas Américas e a segunda no mundo. A sua criação ocorreu graças ao talento e ao espírito aventureiro dos alemães Werner Kaemerer, Stuart Hosie, Alberto Tietjen e dos colombianos Ernesto Cortizzos (o primeiro Presidente da companhia aérea), Rafael Palacio, Cristóbal Restrepo, Jacobo Correa e Aristides Noguera. Estes visionários e sonhadores fundaram em 05 de dezembro de 1919, na cidade de Barranquilla (Colômbia), a Sociedade Colombo-Alemã de Transporte Aéreo – SCADTA. A companhia realizou o primeiro vôo entre Barranquilla e a população próxima de Puerto Colômbia, abordo de um Junker F-13 no qual foram transportadas 57 cartas. O vôo foi comandado pelo Piloto alemão Helmuth Von Krohn. Este avião Junker F-13 e outro do mesmo tipo fizeram parte da primeira frota da companhia aérea, monoplanos de asa baixa e de construção completamente metálica cujos motores tiveram que ser modificados para poder operar eficientemente nas condições climáticas do país. Tinham 9,50 metros de comprimento e 3,50 metros de altura. A sua capacidade de voo era de 850 quilômetros e podiam levar até 4 passageiros, além dos dois tripulantes.

Devido às características topográficas do país, foram adaptados dois flutuadores aos Junker com o objetivo de poder realizar pousos nos rios de diferentes cidades. Assim, em 20 de outubro de 1919 e seguindo o curso do rio Magdalena, Helmuth Von Krohn realizou o primeiro vôo para o interior da Colômbia. Foram oito horas com quatro aterrizagens de emergência incluídas. Com a mesma visão do grupo de fundadores, Peter Von Bauer, um científico e filantropo alemão, interessou-se pela SCADTA e contribuiu com conhecimentos, dinheiro e outro avião para a Companhia. Igualmente obteve para a SCADTA, a concessão do Governo colombiano para o transporte do correio aéreo do país, com que a SCADTA desenvolveu-se definitivamente. Já na metade da década de 20, superando muitos tropeços naturais, a SCADTA inaugurou as rotas internacionais que cobriam inicialmente destinos na Venezuela e nos Estados Unidos. Lamentavelmente, na mesma década, exatamente em 1924, o avião onde viajavam entre outros Ernesto Cortizzos e Von Krohn, precipitou-se a terra na zona que hoje é conhecida como Bocas de Ceniza, acidente que provocou a morte dos seus ocupantes. Dadas as circunstâncias da Segunda Guerra Mundial, o cidadão colombo-alemão Von Bauer tinha tido que vender as suas ações da SCADTA à companhia norte-americana Pan American.

Em setembro de 1920, com Fritz Hammer como piloto, Wilhem Schnurrbush como co-piloto e Stuart Hosie como passageiro, a SCADTA realizou o primeiro vôo entre Barranquilla e Puerto Berrio. Em 19 de outubro do mesmo ano, Helmuth Von Krohn realizou o primeiro vôo entre Barranquilla e Girardot, e já em 1921 foram estabelecidas as rotas entre as cidades de Barranquilla, Girardot e Neiva. Em 1922 a Avianca começou a prestar o serviço de correio aéreo. Em agosto de 1922, o General Pedro Nel Ospina, Presidente da Colômbia naquele momento, utilizou por primeira vez um avião da SCADTA para realizar uma missão oficial. Em 19 de julho de 1923, para salvar o país da bancarrota, a SCADTA transportou um carregamento de ouro e papel moeda desde Puerto Berrio até Girardot. Em 12 de julho de 1928 um Junker F-13 da SCADTA comandado pelo Piloto Herbert Boy cruzou a linha do Equador. Em 23 de julho de 1929 foram estabelecidas as rotas regulares entre Girardot e Bogotá. Em 16 de julho de 1931 a SCADTA estabeleceu o primeiro serviço de correio entre Bogotá e Nova York. Em 1937 a primeira companhia aérea das Américas adquiriu 10 Boeing 247 bimotores e graças a eles ampliou as rotas nacionais. Em outubro de 1939, já como Avianca, adquiriu os primeiros aviões DC 3 que chegaram ao país e voavam a incrível velocidade, para a época, de 200 milhas por hora.

Assim, em 14 de junho de 1940 em Barranquilla, ante tabelião público, foi assinada a escritura de constituição da Companhia Aerovias Nacionais da Colômbia S.A. – a Avianca, graças à fusão da SCADTA, já em mãos norte-americanas e do SACO, Serviço Aéreo Colombiano. Participaram nisso cinco colombianos (os senhores Rafael Maria Palacio, Jacobo A. Corea, Cristobal Restrepo, Aristides Noguera e Ernesto Cortissoz) e os cidadãos alemães Alberto Teitjen, Werner Kaemerer e Stuart Hosie, e assumiu como primeiro Presidente da Avianca o senhor Martín del Corral. Foram décadas de trabalho esforçado e de contribuição para a construção e desenvolvimento da Colômbia mediante ações entre as quais se podem destacar: Quito, Lima e Panamá, e logo Miami, Nova York e a Europa foram as rotas que em 1946 a Avianca começou a operar em DC4 e C54. Os aviões Lockeed Constellation 0749 e o Super Constellation 1049L, os maiores e mais rápidos da época, foram os que a Avianca adquiriu em 1951. A grande façanha da aviação comercial colombiana também foi obra da Avianca em 1956, quando a companhia aérea se comprometeu a levar a delegação colombiana que devia participar nos Jogos Olímpicos de Melbourne, na Austrália. Foram 61 horas de operação contínua, somente com escalas para abastecer a aeronave. Durante muito tempo foi considerada como a maior façanha da aviação do país.

Quatro anos depois a Avianca alugou dois Boeing 707 – 100 para servir rotas internacionais e em 24 de novembro de 1961 adquiriu os seus próprios Boeing 720, batizados com os nomes de Bolívar e Santander. 1976, ano importante para a Avianca, quando se converteu na primeira companhia aérea na América Latina em operar continuamente um Jumbo 747. Três anos mais tarde iniciou operações outro Jumbo, desta vez um 747 Combi, para a área de carga. Em 1981 as possibilidades de serviço em terra para os passageiros em Bogotá se ampliaram graças ao moderno terminal aéreo que a Avianca pôs em funcionamento. A Ponte Aérea da Avianca serviu inicialmente as rotas para Miami, Nova York, Cali, Medellín, Pasto e Monteria. Em 1990 a Avianca adquiriu dois dos aviões mais modernos do mundo: Boeing 767 – 200 ER, os quais foram batizados com os nomes de Cristóvão Colombo e Américo Vespúcio. Em 1994 estabeleceu-se uma aliança estratégica que vinculou a três das empresas mais importantes do setor aeronáutico: a Avianca, a SAM (Sociedade Aeronáutica de Medellín) e a HELICOL (Helicópteros Nacionais da Colômbia), o que deu vida ao Sistema Avianca. O Sistema Avianca contou com serviços especializados nas áreas de Carga (Avianca Carga) e correio (Serviços Postais, logo sob a marca Deprisa), assim como com a frota de aeronaves mais moderna da América Latina.

O Sistema Avianca cobria na Colômbia e no mundo os seguintes destinos: Dentro da Colômbia: Bogotá, Arauca, Armenia, Cali, Medellín, Barranquilla, Bucaramanga, Cartagena, Cúcuta, Santa Marta, Letícia, Manizales, Monteria, Pasto, Pereira, Popayán, Riohacha, San Andrés, Valledupar, Providência, Capurganá, Bahia Solano, Nuqui, Caucásia e Chigorodó. Na América do Sul: Buenos Aires, Santiago do Chile, Rio de Janeiro, São Paulo, Lima, Quito, Guayaquil, Caracas. Nos Estados Unidos: Los Angeles, Nova York, Miami e Washington. Na Europa: Madri, Paris, Frankfurt e Londres. Na América Central e no Caribe: México, Panamá, San José de Costa Rica, Curaçau e Aruba. Em 1996 foi criada a marca Deprisa, como evolução da Avianca Serviços Postais, para o serviço de envio e entrega de documentos e mercadorias urgentes em 24 horas, com as tarifas mais competitivas do mercado, através da Deprisa e Deprisa Empresarial, Correio Tradicional, Recomendados, envios Aeroporto – Aeroporto e Caixas Postais. Em 10 de dezembro de 1998 a Avianca pôs a serviço dos passageiros da Colômbia e do mundo o seu Centro de Conexões em Bogotá, com aproximadamente 6.000 possíveis conexões semanais, maior número de frequências, horários e destinos atendidos, aproveitando em benefício da Colômbia e dos passageiros a privilegiada localização geográfica da capital do país.

Em 20 de maio de 2002, depois de um cuidadoso e complexo processo para enfrentar a crise que vinha passando a indústria aérea, depois de 11 de setembro, a Avianca e a Sam formaram junto com a Aces (Aerovias Centrais da Colômbia) a Alianza Summa. Estas companhias aéreas decidiram unir as suas fortalezas estrategicamente para oferecer um serviço superior em qualidade e quantidade: seguro, confiável, cálido, pontual, mais eficiente e a preços mais competitivos. Entretanto, circunstâncias adversas na indústria e nos mercados, e apesar dos excelentes resultados da união, em novembro de 2003 os acionistas decidiram iniciar a liquidação da Sociedade Alianza Summa e unir esforços para o fortalecimento da marca Avianca. Em 10 de dezembro de 2004, a Avianca concluiu um dos mais importantes e ambiciosos processos de reorganização empreendidos: o processo do Capítulo 11. A Avianca conseguiu a confirmação do seu Plano de Reorganização que é apoiado financeiramente pelo consórcio brasileiro OceanAir/Grupo Synergy e pela Federação Nacional de Cafeteiros da Colômbia, o que permitiu à Companhia Aérea obter recursos por US$63 milhões de dólares nos 13 meses seguintes à saída do C-11.

O Plano, que contou com o apoio de 99.8% dos credores que votaram e que teve o respaldo majoritário do Comitê de Credores, se tornará efetivo assim que a Empresa emergir do C-11. De acordo com a legislação dos Estados Unidos, a Administração tem a obrigação fiduciária de considerar qualquer outra proposta de investimento até o vencimento do prazo final estipulado hoje. Entretanto, dita oferta, além de ser melhor que a que foi aprovada pelos credores nacionais e internacionais da Avianca e confirmada hoje pela Corte, deve estar firme, ou seja, plenamente financiada e respaldada com depósitos em dinheiro não reembolsáveis ou por mecanismos equivalentes. Igualmente, deve ser de caráter vinculante. Como se sabe, o único investimento que cumpre com estes requisitos é o da OceanAir/Grupo Synergy e o da Federação Nacional de Cafeteiros da Colômbia, a qual faz parte do Plano de Reorganização votado favoravelmente pelos credores e confirmado hoje pelo Juiz. O Grupo Synergy é um importante conglomerado empresarial brasileiro de demonstrada solidez financeira. A sua grande fortaleza está no setor petroleiro, pois constrói, instala e faz manutenção em plataformas. Realiza explorações no Brasil, no Equador e na Colômbia.

Outros negócios incluem a extração de gás nos Estados Unidos, a construção naval, infra-estruturas de telefonia, centrais de energia hidrelétrica, comunicações e uma companhia de exploração marinha de hidrocarbonetos, que se estende por nove países com mais de 5.000 colaboradores. É o dono e operador da companhia aérea Ocean Air que atende umas trinta cidades no Brasil, da companhia aérea Vipsa no Equador, da Táxi Aéreo e da recentemente adquirida Wayra no Peru, e da Turb Serv dedicada à manutenção de turbinas. Em 26 de abril de 2010, a Ocean Air passa definitivamente a se chamar Avianca (no entanto, juridicamente ainda se chama Ocean Air), mantendo os destinos que a Ocean Air mantinha no Brasil. Suas operações manterão a frota da Ocean Air, gradativamente sendo integralizada aos aviões da Avianca (Airbus A319 e Fokker 100).

Fontes:

Wikepédia

Site Avianca

Fonte das imagens: Google

———————————————————————————————————————————

Mais uma companhia apresentada aos senhores e senhoritas. Qual será a próxima? Sugestões? Enviem para blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Miguel

Conhecendo as Companhias Aéreas – PASSAREDO

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

A companhia de hoje é a Passaredo. Não consegui encontrar muitas informações sobre a empresa, nem sobre a história, mas o pouco que consegui, vocês conferem abaixo 😉

Em julho de 1995 o presidente do Grupo Passaredo, José Luiz Felício, inaugurou a Passaredo Transportes Aéreos, com uma frota de três Embraer Brasília. Operou também aeronaves modelo Airbus A310-300 com um pool de agências de viagem, que foram desativados na crise cambial de 1999, substituídos por modelos ATR-42-300, logo também devolvidos.

Em 2002 a Passaredo suspendeu suas operações para retornar em 2004, experimentando uma rápida expansão. A partir de 2009 a empresa deu um salto ainda maior ao incorporar jatos da família Embraer ERJ-145.

Após investir cerca de R$ 120 milhões na compra de quatro jatos ERJ-145, em 2010 a empresa adquiriu mais sete aeronaves do mesmo modelo para criar novas rotasEmprega cerca de 650 colaboradores, dos quais aproximadamente 400 estão em Ribeirão Preto, na sede da empresa. Opera vários destinos em todas as regiões do país.

A Passaredo conta com a segunda maior frota regional do Brasil, que é constituída exclusivamente por aeronaves da Embraer, das quais 13 são do modelo ERJ-145 e 1 do modelo ERJ-135.

Fontes:

Wikepédia

Site Passaredo

Fonte das imagens: Google

———————————————————————————————————————————

Mais uma companhia apresentada aos senhores e senhoritas. Qual será a próxima? Sugestões? Enviem para blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Miguel

O Futuros Pilotos Quer Saber: “Qual a Melhor Companhia Aérea do Brasil?”

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Mais uma enquete aqui no Futuros Pilotos e a enquete da semana é a seguinte: “Qual a Melhor Companhia Aérea do Brasil?”.

Todo sabemos que o fluxo de pessoas viajando de avião vem crescendo mês após mês, ano após ano, e com isso, as companhias precisam estar preparadas para receber esse aumento. Então, como a opinião do consumidor é muito importante, nós queremos saber de vocês, qual vocês consideram hoje a melhor companhia do país, levando em consideração os preços, conforto, pontualidade, qualidade do serviço e das aeronaves. A votação estará sendo feita através da nossa barra lateral e será válida até domingo.

Boa semana a todos 😉

Sugestões para as próximas enquetes? Deixe-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com

Futuro Piloto

Miguel

O Futuros Pilotos Quer Saber: "Qual a Melhor Companhia Aérea do Brasil?"

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Mais uma enquete aqui no Futuros Pilotos e a enquete da semana é a seguinte: “Qual a Melhor Companhia Aérea do Brasil?”.

Todo sabemos que o fluxo de pessoas viajando de avião vem crescendo mês após mês, ano após ano, e com isso, as companhias precisam estar preparadas para receber esse aumento. Então, como a opinião do consumidor é muito importante, nós queremos saber de vocês, qual vocês consideram hoje a melhor companhia do país, levando em consideração os preços, conforto, pontualidade, qualidade do serviço e das aeronaves. A votação estará sendo feita através da nossa barra lateral e será válida até domingo.

Boa semana a todos 😉

Sugestões para as próximas enquetes? Deixe-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com

Futuro Piloto

Miguel

Conhecendo as Companhias Aéreas – WEBJET

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Hoje vamos conhecer um pouco da história da Webjet, que recentemente foi comprada pela GOL. Prontos para cópia?

A Webjet Linhas Aéreas Econômicas surgiu em 2005. Por conciliar segurança, eficiência operacional e preços baixos, a companhia foi conquistando cada vez mais o público brasileiro. Desde sua criação, mais de 11 milhões de passageiros já voaram com a empresa.

Em 17 de janeiro de 2006, foi anunciada a venda da companhia a uma associação de empresas de ônibus e ligadas ao setor de turismo, o Grupo Águia e Grupo Jacob Filho. Em 9 de fevereiro de 2006 os voos foram retomados com uma viagem do Rio de Janeiro ao Rio Grande do Sul, com a presença de jornalistas e agentes de viagens. Nesta retomada, a empresa operava somente voos fretados (charter). A Webjet realizou neste período voos para Fortaleza, Natal, Porto Seguro, Porto Alegre e Florianópolis.

Em 2 de maio de 2006 a empresa recomeçou a operar regularmente entre Rio de Janeiro e Porto Alegre, semanas depois esticou seus voos também até Curitiba e Salvador. Após rever sua estratégia de apostar em vendas somente pela internet, as passagens passaram a ser comercializadas também por operadores de turismo, agentes de viagens e acordos corporativos. De maio até o final de 2006 registou cerca de 123 mil passageiros e load factor (média de ocupação das aeronaves) de 72%. Em 1 de novembro de 2006 a Webjet começou a operar sua segunda aeronave com a reinauguração de voos para Belo Horizonte, atendendo o Aeroporto da Pampulha pela manhã e o Aeroporto Tancredo Neves – Confins durante à tarde.

A CVC, maior operadora de pacotes turísticos do país, deu um passo concreto para ter voos próprios ao comprar a companhia aérea WebJet por cerca de R$ 45 milhões. Com a Holding CVC no comando da Webjet, aos sábados e domingos, a empresa aérea passou a voar para as seguintes cidades: Natal, Brasília, Fortaleza,Ilhéus e Porto Seguro. Eram cidades atendidas por voos fretados da operadora CVC, posteriormente passaram a ter cota de voo regular, hoje pode-se comprar bilhetes para esses voos. Nesse período a empresa também começou a operar quatro vezes por semana para Brasília, ligando a capital federal ao Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

A empresa começou a operar em 21 de dezembro de 2007 o terceiro Boeing 737-300, este utilizado para voos diários no nordeste do Brasil, atendendo novas cidades como Recife e Maceió. A quarta aeronave, do mesmo modelo, entrou em operação em 10 de fevereiro de 2008, auxiliando a compor a frequência de voos nas rotas já operadas pela empresa. Em maio de 2008 recebeu seu sexto, desta forma, ampliando o número de cidades atendidas com a inserção de Campo Grande e Cuiabá entre os seus destinos. Em julho de 2008 a Webjet conquista 3,17% de Market Share e vendas acima de R$ 30 milhões ao mês. Em outubro de 2008, atinge 900 funcionários na empresa e vendas acima de R$ 39 milhões ao mês. Em novembro entra em operação a nona aeronave e a Webjet conquista 3,67% de Market Share. Em dezembro de 2008 mais duas aeronaves entram em operação. A Webjet terminou 2008 com um total de 11 aeronaves Boeing 737-300, atendendo 13 cidades.

A Webjet Linhas Aéreas comunicou no dia 13 de fevereiro de 2009 que o executivo José Wagner Ferreira, com larga experiência no mercado de aviação, assume a presidência da companhia aérea. A empresa ocupa o quarto lugar no mercado doméstico, atrás de TAM, GOL e Azul, respectivamente. Wagner atuou, durante 25 anos, na Vasp, onde chegou à vice-presidência, e, nos últimos nove anos, no mesmo cargo na TAM. Em Março de 2009 a Companhia lançou uma nova pintura e novo interior.

Em dezembro de 2010 a Webjet ampliou ainda mais seus destinos, começando a operar em Navegantes, Foz do Iguaçu e Ribeirão Preto. Tendo a partir do Aeroporto de Ribeirão Preto diversas rotas, pois o mercado aéreo esta aquecido em Ribeirão Preto, além de a cidade ser estratégica para a companhia, devido a sua área de abrangência, que atende aproximadamente 4 milhões de habitantes, com alto poder aquisitivo. Em agosto de 2011 inicia suas operações no aeroporto de Uberlândia (MG) de onde partem vôos para Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador.

Em 8 de Julho 201, a companhia aérea Gol anunciou a intenção de compra da Webjet em uma negociação no valor de R$ 96 milhões. Esta compra reforça a sua posição de ser a 2° Maior compania aérea do brasil, se aproximando da TAM e também pelo interesse no uso dos slots de aeroportos centrais utilizados pela Webjet.

Fontes:

Wikipédia

Site Webjet

Fonte das Imagens: Google

———————————————————————————————————–

Muito bem senhores e senhoritas, este foi mais um post Conhecendo as Companhias Aéreas, onde apresentamos um pouco da história da Webjet. Sugestões para a próxima companhia? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Miguel

Conhecendo as Companhias Aéreas – AZUL

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Na Companhia desta semana temos a mais nova companhia brasileira, fundada em 2008. Prontos para copiar a história da AZUL?

Em 27 de março de 2008, David Neeleman anunciou que o Brasil ganharia uma nova empresa aérea. Naquela ocasião, o empresário apresentou em São Paulo os planos para constituir não apenas uma empresa nova, como uma nova empresa. Nova na maneira de encarar o transporte aéreo. Nova ao encomendar aeronaves mais confortáveis, avançadas, desenhadas e fabricadas – com muito orgulho – no Brasil: os moderníssimos E-Jets da Embraer. E a novidade chegou logo neste primeiro momento ao convidar o brasileiro a participar da escolha do nome da companhia.

Em 28 de maio de 2008, já com nome Azul Linhas Aéreas Brasileiras definido, foi apresentada sua identidade corporativa. O mapa do Brasil, estampado na cauda das aeronaves, simboliza o desejo de servir, de aproximar e apresentar aos brasileiros, sem escalas, uma nova fase na história do transporte aéreo do país. Em 17 de setembro de 2008, data do batismo da primeira aeronave da empresa – o Embraer 190, chamado “O Rio de Janeiro Continua Azul” – David Neeleman anunciou que, com o início das operações antecipado para dezembro de 2008, a companhia ganhou ainda mais apoio de seus investidores.

A Azul contabilizou 200 milhões de dólares para começar a operar no Brasil. Desta forma tornou-se a companhia mais capitalizada (em sua fundação) da história da aviação mundial. Foram encomendadas 42 aeronaves e outras 36 em opção de compra, todas da Embraer. O valor total do negócio pode chegar a US$ 3 bilhões, caso todas as opções de compra se confirmem. Ainda em virtude de acelerar sua entrada no mercado brasileiro, a Azul arrendou duas aeronaves Embraer 190 nos Estados Unidos, utilizadas para treinamento e aperfeiçoamento de pilotos e comissários de bordo.

A entrega da primeira aeronave nova de fábrica ocorreu em 11 de dezembro de 2008 e foi batizada “Tudo Azul“. No dia 15 de dezembro, dois voos inaugurais foram realizados. O primeiro, AD 4064, decolou de Viracopos, Campinas, com destino a Salvador, Bahia. O segundo, AD4062, uniu Campinas a Porto Alegre. Nas semanas seguintes, o número de voos entre estas cidades foi gradativamente aumentado, devido a chegada de novas aeronaves.

A Azul apresentou ao Brasil uma nova Ponte-Aérea em março de 2009, conectando Santos Dumont a Campinas. Atualmente, já são cerca de 10 voos diários em cada sentido. Em 15 de junho de 2009, a companhia completou seis meses de operações com mais de 650 mil clientes transportados, 74 voos diários e 13 destinos. A marca de um milhão de Clientes transportados foi alcançada dia 13 de agosto do primeiro ano de operações da Azul – um recorde mundial. Nunca antes uma companhia aérea bateu esta marca em tão pouco tempo de atuação. Em dezembro, a companhia conquistou o título de liderança em pontualidade no setor de aviação brasileiro, com uma média de 91,9% de voos no horário.

Em julho de 2010, a companhia surpreendeu o mercado com um plano audacioso: um acordo entre encomendas firmes e opções para adquirir 40 turboélices da ATR por US$ 850 milhões. A estratégia da empresa é operar conjuntamente seus ATR aos jatos Embraer, de maneira a oferecer ligações convenientes e econômicas a um número maior de comunidades pouco servidas ou simplesmente desprovidas de transporte aéreo regular. A inovação desta ação está na comodidade ao cliente, que com apenas um processo de check-in poderá sair de pólos regionais para grandes capitais nas cinco regiões brasileiras.

Os primeiros turboélices da Azul entraram em sua frota no dia 1º de março deste ano, conectando Viracopos a São José do Rio Preto e Ribeirão Preto com voos diários. Hoje, com quase dois anos e meio de operações, a Azul é a terceira maior companhia aérea brasileira. Segundo a ANAC, a Azul foi a empresa que mais cresceu no ano passado, fechando o ano com aumento de 103% na demanda de passageiros por seus voos, em relação a 2009. Atualmente, a companhia conecta 33 destinos com 230 voos diários. Somando-se às oito linhas de ônibus, são 39 cidades brasileiras servidas pela Azul. Sua frota é composta por 31 aeronaves, sendo dez Embraer 190, 18 Embraer 195, e três ATR 72-200. O papel da Azul é estimular o tráfego aéreo e dinamizar a economia brasileira por meio de uma equação tão simples de entender quanto difícil de imitar: preços baixos com alta qualidade de serviços.

Fonte:

Site AZUL

Fonte das Imagens: Google

————————————————————————————————————————————–

Legal a história da AZUL, não é? Sem contar na beleza dos E-Jets Embraer. Já viajou com a Azul? Sugestões de companhias para os próximos posts? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Miguel