A POSTURA DO ALUNO NO VOO DE INSTRUÇÃO

Introdução

Era o Final de uma manhã propícia ao voo em meados de Março, e aquele deveria ser mais um voo de instrução (TGL).

Alinha e decola, trafego padrão para permanecer no circuito. Na perna do vento a torre solicita: “Tem condições de girar base encurtando?”.

“Afirmativo, gira base de imediato” responde o instrutor.

Alguns segundos depois uma perda seguida de parafuso termina em um amontoado de destroços que havia sido o avião no qual eu tinha checado meu PP, prejuízo desprezível quando comparado à perda infinitamente maior das duas vidas que estavam naquele voo.

Acidentes não deveriam acontecer, nunca, mas infelizmente acontecem, e no caso da aviação não são raras as graves conseqüências.

O que nos resta então, após um acidente, são as lições que, se aprendidas, vão tornar mais remotas as chances de se repetir os mesmos erros.

Em alguns treinamentos que ministro faço questão de citar aquela frase que vocês já devem conhecer. “Na aviação, aprenda o máximo que puder com os erros dos outros, você não vai viver o suficiente para repetir cada um deles”.

Um relatório tem, como principal objetivo, levantar dados que proporcionem o aprendizado necessário para prevenir futuras ocorrências decorrentes dos mesmos erros. Nós, como pilotos, devemos examinar com interesse (embora isso não seja nada agradável) os relatórios de acidentes, principalmente aqueles que ocorrem em perfis de vôo similares as nossas atuais operações. Vale lembrar que estes relatórios são públicos, estão à disposição de qualquer pessoa que queira consultá-los.

Como aqui, a maioria de vocês está no início do treinamento na arte de voar, quero tentar contribuir com o aprendizado e amadurecimento profissional de vocês ao retirar, da consulta de relatórios de acidentes, lições práticas em relação ao comportamento, ou postura, de um aluno piloto.

Pessoas têm personalidades diferentes, mas entre as características que podem ser encontradas na maioria dos que tem vocação para o vôo são a ousadia e a autoconfiança (essa última às vezes em níveis acima dos recomendáveis).

Para que você tenha sucesso em seu aprendizado, e futuramente em sua carreira, quero considerar algumas questões importantes, mas antes de tudo vem o mais importante:

Humildade – Está aí um ótimo ponto para começar e uma questão fundamental para o sucesso, uma postura de humildade ajuda em muito a começar de onde é preciso, do começo.

Alguns candidatos a piloto chegam às escolas ou aeroclubes achando que já sabem tudo, afinal gabaritaram a banca da Anac, ledo engano, pois embora a teoria seja essencial, voar você só vai aprender voando, e no momento em que você iniciar os treinamentos de voo vai perceber que as oportunidades para exercer humildade serão inúmeras e afetarão todos os demais aspectos do seu treinamento. Então vamos lá?

1 – Adquira uma sólida base teórica antes de iniciar o treinamento prático.

ScreenHunter_01 May. 16 21.41

Passar na banca não deve ser o objetivo, mas a conseqüência de seu aprendizado, se você tem a aviação “no sangue”, muita coisa você já terá aprendido, fundamentos da teoria de voo  da aerodinâmica, motores e sistemas dos aviões mais simples já não devem ser problemas para você, mas tem ainda os regulamentos e a meteorologia, ninguém vai decorar todos os aspectos, mas estar familiarizados com as principais regras pode te livrar de embaraços, e interpretar corretamente um metar ou uma carta meteorológica pode lhe salvar a vida.

2 – Esteja atento às suas deficiências.

Você vai ter uma lista enorme delas quando cortar motores após seu primeiro voo de instrução, mas após seu segundo voo essa lista tem que mudar.

Me lembro de meus vôos de Boero e Uirapuru lá pelos idos de 90 e 92, onde meu instrutor (aliás um excelente instrutor) após dois “catrapos” idênticos me pedia: “Raiss, no próximo pode errar, mas erra diferente”.

O que ficou de lição é: Briefing e Debrifing são essenciais, seu vôo tem que começar e terminar na sala e não no avião.

No Debriefing faça uma análise do vôo, anote tudo. Porque aquela manobra não saiu como deveria? Onde tenho que ajustar para acertar no próximo? Se sua escola não mantém um registro robusto do seu histórico de vôo exija isso deles, faça também suas próprias anotações e no briefing do próximo vôo, antes de planejar a missão do dia, leia as anotações do vôo anterior e se for o caso, peça ao seu instrutor para repetir o treinamento. Não tenha pressa, cada um tem um ritmo, algumas manobras você vai zerar na primeira outras vão demorar um pouco mais, se errar tente corrigir, erre diferente, mas tente corrigir.

Para citar um exemplo de lição aprendida em relação ao acidente referido no início, conforme registros, o aluno tinha um histórico de limitações psicomotoras desde o início do treinamento, tinha problemas recorrentes em reagir à dinâmica de voo e dificuldade em memorizar procedimentos e check lists.

Outro aspecto considerado no relatório como contribuinte para o acidente: Existe uma prática, principalmente em aeroportos mais movimentados, de se tentar agilizar os procedimentos. Naquele voo  embora houvesses somente dois aviões no circuito, a torre, talvez até querendo ajudar, solicitou a agilização.

Considerando as habilidades e limitações do aluno na ocasião, talvez a resposta mais sensata à solicitação da torre deveria ter sido: “Torre, sem condições, permanece na perna do vento como número dois para o pouso”.

Assim, respeitando as respectivas limitações, eles talvez tivessem feito um toque e decolagem a menos naquele voo, mas haveria outros.

Então, esteja ciente e respeite suas limitações, segurança em primeiro lugar.

 3 – Planeje seu treinamento.

ScreenHunter_05 May. 16 22.16

Eu sei que para alguns é muito difícil, para mim foi, um curso PP não é barato, mas a opção de voarmos “à prestação” conforme os recursos financeiros pode se tornar uma armadilha, no caso do acidente relatado no início deste artigo, o aluno havia feito seus primeiros seis vôos e interrompeu o treinamento, após um ano voltou e fez mais oito vôos, então parou novamente para só voltar um ano depois e fazer mais quatro vôos, o quinto foi, infelizmente, o último.

Como disse, sei que para alguns é muito difícil, mas a regularidade dos vôos de treinamento é essencial para um desenvolvimento adequado de suas habilidades.

O MCA58-3 (Manual do Curso de Piloto Privado) faz a seguinte recomendação:

Os alunos devem ser alertados para a necessidade de ser estabelecida uma programação contínua de voo, na qual os intervalos entre as missões da prática não sejam superiores a oito dias consecutivos, a fim de se garantir a eficácia da instrução”.

 4 – Inicie sua vida de piloto sendo altamente técnico.

Ser piloto é para quem gosta de estudar, é para quem tem prazer em fazer tudo com excelência e precisão, mais ou menos na aviação não é suficiente.

Você conhece detalhadamente seu avião? Sabe onde estão os limites de C.G.?

Sabe os limites de velocidade para cada fase do vôo? Está familiarizado com os gráficos de desempenho?

Já vi alunos perguntando: Qual é a velocidade de stall deste avião? A resposta correta é: Depende, (depende, no mínimo, da combinação de velocidade, peso e banking).

Conhece o consumo de combustível, sabe interpretar os gráficos e fazer os cálculos para abastecer de forma adequada seu avião? Decolar para uma hora de TGL com 3 horas de autonomia nos tanques não é uma boa idéia, mas foi um dos fatores levantados pela investigação do acidente do vôo que relatei acima.

5 – Esteja sempre no comando, sempre.

ScreenHunter_06 May. 16 22.34

Nos primeiro vôos, em várias fases quem vai pilotar é seu instrutor, mas mesmo nesse momento você não pode ser um passageiro, mesmo não estando efetivamente comandando o avião sua mente tem que estar atenta a tudo o que acontece, sinta as reações do avião e observe, observe, observe.

Quando você estiver no comando, comande, aprenda desde agora a perceber o quanto antes os desvios para poder agir, 1100 ft não é 1000 ft e 85 kt não é 80 kt,  (um pequeno desvio pode ser anulado com pequenas correções, mas um grande desvio necessita de grandes correções), no início as manobras vão acabar “escapando”, quando isto ocorrer, avalie a situação rapidamente e tome imediatamente as providências para restabelecer os parâmetros. Uma boa dica é pensar alto, falar, assim seu instrutor saberá que você está ciente da situação, se tiver dúvida fale também o que pretende fazer, não pergunte, apenas comente o que pretende fazer, se for a atitude inadequada seu instrutor vai intervir.

E lembre-se, seu instrutor quer ver você reagir, não existe nada mais irritante do que ver o avião escapando e o aluno virando passageiro. Portanto, esteja no comando, sempre.

6 – Seja organizado.

ScreenHunter_07 May. 16 22.40

Mapas, check lists, canetas, computador de voo  Rotaer, calços, garfo de reboque, copinho de dreno, etc., você tem algumas coisas na cabine e precisa ter um lugar para cada uma delas. Um dia desses derrubei minha caneta no piso do avião, após o vôo fui tentar encontrá-la, sai no lucro, havia mais quatro embaixo do assento, ou seja tinha F.O. (Foreing Object) a rodo na cabine. Tem outra coisa que é até comum, mas painel não é suporte de check list e mapa. Uma prancheta (Knee board) ajuda muito, não precisa ser aquelas caras não. A minha eu mesmo fiz conforme minhas necessidades. E tem aquele que lembra de procurar um “papelzinho” e caneta somente na hora em que a torre solicita “pronto para cópia?”

7 – Cuide de sua saúde

Vôos de treinamento, principalmente os primeiros, são altamente estressantes, você vai estar ansioso, apreensivo, o avião vai estar quente e desconfortável, dependendo do avião já vai te dar dor nas pernas no táxi, você não vai conseguir entender ou assimilar de primeira algumas mensagens do solo, torre ou controle, etc. Enfim, para tirar o máximo proveito é necessário estar na melhor forma, praticar atividades físicas vai aumentar suas chances de ter vida longa na aviação mas já vai fazer diferença agora, ir para o vôo descansado  vai ajudar muito na concentração e reflexos tão necessários ao vôo.

Concluindo

Seu instrutor tem grande responsabilidade em lhe ensinar tudo que precisa para voar. Mas em última instância, o maior responsável é você, além de ser o maior interessado.

Bons voos.

Agente se vê.

Raiss

Anúncios

44 comentários em “A POSTURA DO ALUNO NO VOO DE INSTRUÇÃO

  1. Fantastico!
    parabens pelo post, representa fielmente o começo! Estou com apenas 30 horas de voo e isso é recente para mim!

    grande abraço

  2. Obrigado Felipe,
    Falta pouco para o check.
    Com Humildade, disciplina e excelência, são as 30 primeiras horas de milhares.
    Bons vôos. Avisa agente quando checkar.

    abs

  3. Conheci o “blog” hoje através desta postagem e me senti envolvido.
    Certamente conquistastes um novo e fiel visitante. E com certeza com uma vida mais longa.
    Forte abraço e obrigado por compartilhar estes momentos e sabedoria.

  4. De nada Flipe.
    Entre os desafios para quem quer ser piloto, estão a busca pela perfeição e excelência, mas nunca se esqueça, tem que ser divertido também, tem que dar prazer.

    abs

  5. Ótimo texto, dicas valiosas para quem vai começar a voar, assim como eu!! Por coincidência começo minhas práticas do PP amanhã, ansiedade nas nuvens já heheheh pra relaxar resolvi ler um pouco e acabei sendo direcionado pra cá pelo blog do Raul Marinho!
    Parabéns e bons voos!

  6. É Albanese,
    Essa ansiedade vai até encher a mão na manete na cabeceira, depois vc vai ficar tão ocupado que a ansiedade some.
    Aproveite ao máximo suas aulas, os primeiros fundamentos são os mais importantes.
    Bons voos.

  7. Parabéns pelo texto!
    Se os pilotos adquirirem desde cedo a responsabilidade e humildade, certamente serão grandes comandantes.

    Abraços,
    Robert Zwerdling

  8. Excelente texto, parabéns!
    Longe de querer criticar, apenas gostaria de tirar uma dúvida:
    Não entendi qual o problema de sair com 3hs de autonomia para 1h de TGL.
    Abç e bons voos,
    Zech

  9. Zech

    Quando se analisa um acidente, deve-se considerar todos os fatores que possam ter contribuído para que as coisas dessem errado.
    Isso porque nós sabemos que um acidente nunca é provocado por somente um fator, mas ocorre depois que uma série de coisas estiverem erradas.
    Realmente, o fato isolado de se decolar com 20 kg a mais de combustível (mais ou menos o consumo de um C152 em uma hora no TGL) não vai fazer muita diferença, embora num dia quente com dois marmanjos dentro até parece que faz mesmo, pois para chegar à altitude de trafego padrão no través da torre dá o maior trabalho.
    Mas voltando à questão, quando se soma, por exemplo, um giro de base mal planejado com banking excessivo, a uma velocidade incompatível e mais o peso a mais, além da inexperiência, a combinação pode ser fatal.
    Quando vamos sair para uma navegação o senso de necessidade de planejamento é maior e aí sentamos e planejamos. Uma hora de TGL deve ser planejada com o mesmo cuidado.

    A lição que gostaria que ficasse é: Ao planejar o voo, esteja atento aos mínimos detalhes pois aquele que você esqueceu pode fazer toda diferença num momento crítico.
    Voe com Técnica, Planejamento e Excelência.

    Obrigado pela sua contribuição.

    Bons vôos
    Raiss

  10. Cmte, excelente post! Hoje como instrutor de voo continuo em constante aprendizado e com suas palavras ganhei mais embasamento para repassar aos alunos durante os voos de instrução.
    Forte abraço e bons voos sempre!

  11. Muito bom o posts, excelentes dicas! Estou voando meu PC e me reconheci em vários tópicos, principalmente no referente à regularidade dos voos. Eu demorei pra solar porque fazia um TGL a cada duas semanas, então meus pousos nunca ficavam bons o suficiente pro voo solo.
    Dentro desse assunto, eu acrescentaria mais um quesito: paciência! Nem sempre o curso vai seguir o cronograma que você estabeleceu, por motivos alheios ao seu desempenho, e ansiedade e pressa não ajudam nem um pouco!

    bjs!

  12. Muito boa noite Cmte Bruno.

    Obrigado pelas suas considerações, estamos todos sempre aprendendo e compartilhar conhecimento é fundamental, fico feliz em saber que foi de bom proveito.

    Bons voos para vc tbm.
    abs

  13. Oi Camila,
    Muito obrigado.

    Vc tem toda razão, se ficarmos excessivamente ansiosos e não tivermos paciência conosco mesmo acabamos sendo rigorosos além da medida.
    Isso pode levar a duas coisas:
    Ficarmos remoendo o erro da manobra anterior em vez de nos concentrarmos na próxima. E querermos praticar o conteúdo de duas horas de voo em apenas uma.

    Sucesso em seu treinamento PC.
    abs

  14. Ótimo, irei compartilhar com outros colegas de turma. Parabéns.

  15. Sou gerente de operacoes de uma das escolas mais tradicionais no Brasil e te digo que quando nos vier fazer uma visita (esta convidado) podera ver com certeza suas recomendacoes em nosso mural de comunicacao com os alunos…sao dicas valiosas e vem acompanhadas de uma real experiencia na arte de instruir. Isso se obtem com vivencia e muitas horas, sentados ali, aprendendo a ensinar. Instrutor e alunos aprendam a aprender a voar, sigam as recomendacoes GRATUITAS de nosso amigo!!! Obrigado!! Abs.

  16. Olá Rodrigo,

    Muito obrigado pelos seus cometários, e muito obrigado pelo convite para visitar a escola. Instruir é muito gratificante, e embora eu ainda não seja instrutor de voo almejo muito ser pois tenho grande admiração por esses profissionais.
    Como você disse, essas dicas (que nasceram mais de minhas experiências quando aluno), se acompanhadas de muitas horas de prática, dedicação e esmero em ensinar, podem contribuir para uma formação sólida dos futuros pilotos.

    Para mim é uma grande honra saber que essa humilde contribuição ocupa um espaço em seu mural de comunicação com os alunos.

    Um grande abraço

    Raiss.

  17. Cmte., vejo em seu post o que vivemos no dia a dia. Tomarei a liberdade de imprimir e usa-lo no mural de nossa escola, afinal uma boa instrução não depende única e exclusivamente da escola (ifra-estrutura, profissionais e máquinas perfeitas), mas a maior parte dela de seus alunos, devidamente organizados e preparados para o vôo. Obrigado por compartilhar sua experiência conosco e sucesso.

  18. Muito boa noite Rogério,

    Fique à vontade, é uma honra para mim poder contribuir.
    Eu que agradeço pelos seus comentários.

    Abs

    Raiss

  19. Excelente Post! Hoje algumas centenas de horas depois da minha instrução de PP só tenho algo a dizer: TA AÌ A RECEITA DO BOLO!

  20. Aprendi muito com esse post,espero ler outros parecidos com esse,tão detalhistas e abrangentes quanto o mesmo.parabens!

  21. Aprendi muito com esse post,espero ler outros parecidos com esse,tão detalhistas e abrangentes quanto o mesmo.vida longa a todos nós!
    Bons vôos a todos!

  22. Excelente post, estou muitíssimo agradecido de ter encontrado seu post!!

    Estou perto de iniciar a formação pratica de PP(só falta realizar o CMA), com pretensão de seguir PC, após.

    Fui aprovado na Teórica a cerca de 2 meses (07/06), em segunda época nas matérias MET e REG, fiz toda a preparação sozinho autodidaticamente, comprando os livros, calculadora de voo, etc…, e agora, perto de iniciar o treinamento pratico, vem aquele frio na barriga, ainda mais que no meu caso, não tive nenhum instrutor teórico, para passar um pouco das experiencias durante o voo, coisa que acredito que deve acontecer, que muito deve ser dito durante o curso teórico além do próprio conteúdo teórico, de maneira a preparar o aluno a situações que irá enfrentar durante treinamento pratico.

    E muitas vezes me questiono:
    – Será que o que eu estudei é suficiente para eu dar inicio as aulas praticas??
    – Será que eu consigo entender as rápidas mensagens passadas pela FONIA??
    – Como será que é realizar os cálculos de estimados lá em cima??
    Entre muitas outras…

    Mas blogs como esse que vim a conhecer hoje, devido a um post no Canal Piloto sobre um voo de treinamento realizado por Fabio Miguel.
    O próprio canal piloto, onde sou imensamente grato ao Alexandre Sales, e todos seus videos no youtube, que foram essenciais para a minha formação teórica e familiarização com a aviação.

    Muitíssimo agradecido a todos vocês, sem palavras para descrever…

    Obrigado
    Obrigado
    Obrigado

  23. Olá André,

    Parabéns pela aprovação e pelo empenho, estudar sozinho e ser aprovado já mostra que você tem uma das qualidades essenciais que é disciplina.
    A ansiedade é normal, mas fica tranquilo, se você tem vocação vai se adaptar ao vôo rapidinho. Os fundamentos teóricos virão à sua mente à medida que precisar deles, mas continuar estudando é fundamental.
    Algumas coisas, como a fonia por exemplo, é questão de tempo, às vezes no começo pode ser meio confuso, mas fica aqui uma dica, se não entender pede para repetir, além disso tem que cotejar, seja preciosista nisto pois é a confirmação de que você entendeu as instruções.
    A dica de anotar vale muito, prancheta na perna para anotar pista em uso, vento, ajuste altimetro e codigo transponder. Eu tenho uma folha pessoal com um padrão onde anoto, antes do voo as frequencias que vou usar, além de hora de acionamento, decolagem, pouso e corte, também tem um espaço em branco para anotações gerais.
    Não se esqueça de contar para nós suas experiências de voo, é assim que vamos todos melhorando em nossas vidas de pilto.

    grande abraço

    Reiss

  24. Boa noite cmte, excelente texto, parabéns e já está em favoritos.
    Abraco e bons voos!

  25. Raiss, boa tarde!

    Primeiramente, parabéns, gostei muito e está excelente o post!!!
    Bom, tenho 22 anos, vou começar agora os cursos de PPA, como achei muito bom mesmo as suas palavras venho por meio desse coment. colher mais informações, sou de SP/Capital, está quase certo que vou começar e escolher a escolha Aeroclube aqui de Sp mesmo, até pela localidade proxíma, estou com curiosidade pois estou lendo em blogs que o interior está muito bom para começar sua carreira, sou muito curioso e muito humilde de ir atrás da informação até por isso esté coment, gosto de conversar com muitas pessoas a respeito. Poderia me auxiliar me indicando bons outros blogs bom quanto o seu, ou paginas, ou de alguma forma me dando dicas boas quanto essas acima a respeito de como começar no ramo, oportunidades, ir atrás doque iniciamente, posteriormente, escolas boas em SP, quanto no interior, falar um pouco também do dia a dia….

    Agradeço pela atenção desde já, e me desculpe por algo…
    se achar melhor responder segue:
    lucaspamplona13@gmail.com

    Abraçoss e ótimos vooss..
    Logo Estarei Juntooo!

  26. Oi Lucas,

    Primeiramente, muito obrigado pelas suas observações.

    Seja muito bem vindo ao fascinante mundo do voo.
    Fazer curso fora da cidade em que moramos pode ser muito complicado mas pode valer a pena em alguns casos.
    Antes de decidir, visite quantos Aeroclubes puder, e não dê somente uma passada não. Comece sua avaliação pela recepção que terá nos primeiros contatos, atendimento da secretaria, simpatia dos instrutores e funcionários, acolhimento pelo pessoal em geral. Já tive experiências com Aeroclubes que nem sequer se deram ao trabalho de responder um email.
    Tem muito blog e muita informação boa na internet, um que eu posso lhe recomendar é o http://paraserpiloto.com , tem muita coisa boa lá.
    Se você lê “Inglês” (se não lê corre atrás, não dá par ser piloto sem falar inglês) suas opções se multiplicam, tem, por exemplo, o site http://www.aopa.org/ , além de muitos outros.
    Quanto a como iniciar, dá uma olhada no blog http://culturaaeronautica.blogspot.com.br/2012/09/saiba-como-se-tornar-um-piloto-comercial.html.
    Para não correr risco de desrespeitar regras do blog coloquei aqui algumas informações que possam ser úteis a outros visitantes do blog, no entanto vou lhe responder via email, assim agente pode ir trocando idéia à medida que você for se posicionando na caminhada (ou voo) em direção ao seu sonho.

    agente se fala.

    abs
    Raiss

Os comentários estão desativados.