Novo Projeto – AeroPortal

aeroportal_jpg

Bom dia, boa tarde, boa noite, conforme a ocasião, pilotos e futuros pilotos!

Como estão os senhores e as senhoritas? Espero que bem! Bom, estou fazendo esse post para anunciar meu novo projeto: o AeroPortal!

Como disse neste post, estava trabalhando em um novo projeto juntamente com grandes nomes da aviação na internet, e esse projeto finalmente ficou pronto! (Tudo bem que já faz 1 mês que ele está no ar, mas é agora que as coisas vão começar a funcionar como deveriam ;)). Trata-se do AeroPortal, um portal (ah vá) sobre aviação! Lá estamos colocando as principais notícias da aviação, bem como textos e colunas de grandes nomes da aviação brasileira, fotos, podcasts, vlogs e uma infinidade de outras coisas relacionadas à aviação. Os melhores geradores de conteúdo para aviação da internet estão lá! É uma grande conquista e um novo grande passo para a aviação na internet. Tudo de melhor está lá!

Portanto, gostaria de dizer que, oficialmente, o Blog Futuros Pilotos deixará os céus virtuais e vai finalmente pousar e ficar em exposição para todos os futuros pilotos! Os conteúdos aqui postados ficarão disponíveis sempre que vocês precisarem 😉 O foco agora está neste novo projeto, o AeroPortal. Então, todas as novas notícias, colunas, textos, podcasts, vlogs, fotos, tirinhas e tudo mais estarão em um único lugar, o AeroPortal! Faça uma visita no site e aproveite o melhor conteúdo sobre aviação da internet!

Novamente agradeço a todos pela atenção, pelo carinho, pelos comentários, feedbacks, e pelas visitas nesses quase 3 anos de blog Futuros Pilotos. Ah, e vou contar um segredo: lá no AeroPortal eu terei uma coluna falando sobre a carreira de piloto, então fica ligado lá que vai ser uma coluna muito legal e que com certeza vai ajudar muitos de vocês 😉

Obrigado pessoal, nos vemos lá no AeroPortal!

Abraço!

Fábio Miguel

Anúncios

Aeroclube Santa Maria – RS

fotos

Olá Futuros Pilotos!

Nesta sexta feira, estive no Aeroclube de Santa Maria. Como estou morando nessa cidade, provavelmente será aqui que começarei a preencher minha CIV (Caderneta Individual de Voo). Aproveitei pra tirar algumas fotos e trocar uma ideia com o pessoal que começaria o teórico.

Aeroclube de Santa Maria.

Aeroclube de Santa Maria.

Desde que conheci o Aeroclube, fui muito bem tratado. Fui convidado a conhecer as instalações e dar uma olhada nos aviões. Uma das coisas legais que encontrei aqui foi o Computador de Voo tamanho família. O nome do inventor é Alcion, dono de uma pilha de CIV’s, é um dos professores aqui no  aeroclube. O computador de voo tem cerca de um metro de diâmetro. As duas faces do computador são separadas, penduradas na parede para melhor visualização durante as aulas de navegação.

Sexta feira estava tirando umas fotos no hangar e vi um casal de irmãos esperando o pai voltar do voo panorâmico que a família estava fazendo. Coutinho, que faz parte do quadro do Aeroclube, cuidou dos pequenos enquanto durava o voo. Aproveitei pra tirar umas fotos dos dois enquanto o avião pousava.

Primeiro contato com aviação.

Quem tiver a oportunidade de conhecer o Aeroclube de Santa Maria, pode vir tranquilo que o pessoal aqui é muito amigo. Se quiser tomar um mate ou comer um churrasco as portas estão sempre abertas.

Valmor

Name That Airport

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Hoje trago até vocês um jogo do Facebook. Mas calma, não precisa de cadastro e não precisa aceitar nenhum aplicativo. A única coisa que você precisa fazer é clicar no botão “Like”.

Estranho? Um pouco, mas você não vai se arrepender 😉 O jogo em questão é uma página criada pelo Diego Muller, onde diariamente ele posta vários aeroportos, tanto nacionais quanto internacionais, e o desafio é acertar qual aeroporto é. Então se você conhece vários aeroportos, é a sua chance de participar da brincadeira.

Futuramente há a previsão de prêmios para quem acertar mais aeroportos, mas para que isso ocorra, a página tem que ter mais membros 😉

Então corre lá, aperta o curtir e comece a acertar os aeroportos postados. E não se esqueça de chamar seus amigos para participar também 😉

Para ir até a página, basta clicar no link: Name That Airport

Miguel

.

Aeródromo da Semana – Florianópolis

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Subindo um pouco, chegamos a SC e na cidade de Florianópolis, onde encontramos o Aeroporto Internacional Hercílio Luz, sobre o qual vamos falar no post de hoje 😉

Continuar lendo

Aeródromo da Semana – Porto Alegre

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Nesta semana aqui no Aeródromo da Semana, vamos voar até o sul do país e conhecer um pouco mais do Aeroporto Internacional Salgado Filho, localizado em Porto Alegre – RS.

O Aeroporto Internacional Salgado Filho ocupa uma área patrimonial que tem a sua origem na antiga Sesmaria de Jerônimo de Ornellas. Com a morte de Jerônimo de Ornellas, a área foi ocupada indiscriminadamente até que a Brigada Militar, através de um processo envolvendo o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, passou a utilizá-la parcialmente para desenvolvimento de Unidades Paramilitares no combate às periódicas revoluções. Na época, havia uma pista de 600 metros de comprimento localizada no campo da várzea do Rio Gravataí, onde foram construídos dois galpões destinados a oficinas e hangares. Em 15 de setembro de 1923 terminava a construção do primeiro Aeroporto de Porto Alegre, que pertencia ao Serviço de Aviação da Brigada Militar.

A Unidade Aérea da Brigada Militar encerrou suas atividades em 1924 e o local passou a ser conhecido por Aeródromo de São João (nome do Bairro de Porto Alegre adjacente à área). Por volta de janeiro de 1924, a Brigada Militar cedeu ou arrendou os aviões “avariados” e o Aeródromo com pista e hangares a Orestes Dionísio Barroni, que tinha por objetivo instalar uma Escola de Aviação Civil. Em 1933, a Varig passou a operar com aviões dotados de trem de pouso do tipo Junkers Júnior e F-L3 utilizando, ainda que precariamente, as instalações do Aeródromo de São João. Nesse mesmo ano, instalou-se tam nesta área a Base Aero-Naval do Rio Grande do Sul, cujo comandante era o Capitão de Corveta Luiz Neto dos Reis. Esta base foi utilizada por seis meses como apoio à navegação marítima, lacustre e a rede de faróis costeiros.

Em 1937/1938, teve início o processo de desapropriações de terrenos adjacentes a área ocupada pelo Aeródromo de São João para sua ampliação e construção do Aeroporto de Porto Alegre, que recebeu a designação pelo Decreto Lei 2271 de 03 de julho de 1940. Neste período foi construído o primeiro terminal de passageiros, pelo Engenheiro Stoki, primeiro chefe da 9ª Região do Departamento de Aviação Civil – DAC. Em 1942, na chefia do Serviço de Engenharia da 5ª Zona Aérea, o Engenheiro Carlos Martins Futuro recebeu ordem de escolher uma nova direção para a pista que seria pavimentada e que pudesse atingir um comprimento de três quilômetros, bem como um local para a nova estação de passageiros.

Com a 2ª Guerra Mundial, o Ministério da Aeronáutica determinou a redução do ritmo das obras do aeroporto, deslocando o material e pessoal para a construção da Base Aérea de Gravataí (atual Base Aérea de Canoas). As obras do aeroporto foram atribuídas a Secretaria de Obras Públicas e mais tarde ao Departamento Aeroviário do Estado, que deu início à construção do primeiro terminal de passageiros e pavimentação do primeiro trecho de 900 x 42 m da pista atual. Com esta melhoria os aviões triciclos, tipo Convair 240, 340, 440 e Constellation, já tinham condições de pouso no aeroporto.

Em 12 de outubro de 1951, pelo Decreto Lei n° 1457, o Aeródromo de São João ou simplesmente Aeroporto de Porto Alegre passou a ser designado Aeroporto Internacional Salgado Filho. O novo trecho de pista e os 12 módulos da Estação de Passageiros foram inaugurados em 19 de abril de 1953. Posteriormente, foram construídos mais de 700 metros de pista de concreto em convênio com a União e o Estado, sob a fiscalização do Serviço de Engenharia da 5ª Zona Aérea. Em continuação ao trecho executado pelo Estado, mas sob a direção do S.E. 5 do 5° COMAR, foi construído o último trecho da pista (até o comprimento de 2.280 metros), bem como a execução das pistas de rolagem e ampliação do Pátio de Estacionamento para atender aeronaves de grande porte.

Até 1971, o aeroporto passou por inúmeras transformações com obras de ampliação, recuperação, drenagem, pavimentação, etc. Entre estas, o acesso à Varig, estacionamento para táxis, praça em frente ao aeroporto, reformas nas bombas de drenagem e principalmente a ampliação e modernização do terminal de passageiros, oferecendo maior capacidade e funcionalidade. Em 7 de janeiro de 1974 a Infraero assumiu a administração, operacionalidade e exploração comercial e industrial do Aeroporto. Em 1982, novos recursos foram destinados à ampliação do Terminal de Passageiros, pois a demanda aeroportuária já alcançava índices elevados de movimento.

Ainda em 1983, houve a recuperação do pátio de manobras e a recuperação, recapeamento e ampliação do pátio de pequenas aeronaves. Em 1986, foram destinadas áreas para a construção dos novos terminais de carga e manutenção para as empresas Vasp, Transbrasil, Sata e Correios e Telégrafos. Em 1986 foram instaladas as lojas “Free-Shop” e “Tax-Free” no embarque e desembarque internacional. Em 1987 o estacionamento, em frente ao Aeroporto, foi ampliado de 280 para 750 vagas. Desde 1993 o prédio do aeroporto passou por reformas proporcionando melhorias aos usuários. Neste ano foi realizada a modernização da marquise em frente ao aeroporto, a remodelação da sala de embarque 1, a duplicação da sala de embarque 3 e a ampliação do desembarque doméstico. Em 1994 foi instalado o elevador hidráulico que facilita o acesso ao segundo piso, a climatização com ar condicionado central e a construção do berçário.

Em 1995 foram concluídas a ampliação do Terminal de Cargas e a instalação da segunda esteira de bagagem no desembarque doméstico. Em 1996 o terraço panorâmico foi fechado com vidros e climatizado e, em 28 de dezembro de 1996, foi assinada a ordem de serviço para início da construção do novo Complexo Aeroportuário Internacional Salgado Filho. O novo Terminal do Aeroporto Internacional Salgado filho é um dos mais modernos do país. As obras foram iniciadas em janeiro de 1997 e concluídas em setembro de 2001.

Agora vocês conferem algumas informações técnicas sobre o aeródromo:

  • Sítio Aeroportuário – Área: 3.805.810,04 m²;
  • Pátio das Aeronaves – Área: 142.750 m²;
  • Pista – Dimensões(m): 2.280 x 42;
  • Terminal de Passageiros – Área(m²): TPS-I: 37.600 e TPS-II: 15.540;
  • Estacionamento de Aeronaves – Nº de Posições: 59 posições;
  • Código ICAO/IATA: SBPA/POA;

Companhias Aéreas:

  • Aerolineas Argentinas
  • Azul
  • BQB
  • Gol
  • NHT Linhas Aéreas
  • Avianca
  • Passaredo
  • Pluna
  • Taca Peru
  • Tam
  • Trip
  • Webjet
  • TAP

Fonte: Infraero

Maiores informações: Wikipédia

Fonte das Imagens: Google, POA ao Vivo, Ronaldo Fotografia, Meu Porto Alegre, Porto Imagem, Inovação Aérea, AeroSpace Brasil

O melhor é ouvir as matrículas e prefixos das aeronaves no alfabeto normal: “Pê Erre, Dábliu Jota Jota” uhauhauhauahua

————————————————————————-

E chegamos ao fim de mais um Aeródromo da Semana. O que achou? Tem mais informações para compartilhar conosco? Deixe nos comentários 😉

Se as informações acima estiverem incompletas ou desatualizadas, avise-nos para que possamos arrumar. Todas as informações foram obtidas através do site da INFRAERO.

Gostou do post? Avalie clicando nas estrelas abaixo e no botão “like“. Compartilhe com seus amigos via redes sociais e deixe seu comentário 😉

Sugestões para os próximos aeródromos? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Fábio Miguel

Aeródromo da Semana – Cuiabá

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Mais um aeródromo chegando por aqui e este foi um pedido do nosso leitor Luís Gustavo, que nos sugeriu via e-mail o aeródromo de Cuiabá. Acompanhem um pouco do histórico dele abaixo:

Em 1938, foi iniciada, pelo engenheiro civil Cássio Veiga de Sá, a construção do Aeródromo de Cuiabá. A inauguração foi em 1939, com o pouso do trimotor Junker-52 da Syndicato Condor Ltda. O campo de aviação, como era conhecido, localizava-se onde hoje é a Vila Militar, na cidade de Cuiabá.

Por volta de 1942, com a criação do distrito de obras do Ministério da Aeronáutica em Cuiabá, definiu-se a construção do novo aeroporto. Em 1949, o Governo do Mato Grosso autorizou o poder executivo estadual a doar ao Ministério da Aeronáutica uma área de 700 hectares situada no município de Várzea Grande, para a construção do novo Aeroporto de Cuiabá. A pista de pouso, primeira obra do aeroporto foi inaugurada em 1956. No ano seguinte, a sede do canteiro de obras foi transformada numa estação de passageiros que, precariamente, abrigava diversas companhias de aviação.

Em 1964 foram iniciadas as obras do novo terminal de passageiros, entregue ao público no mesmo ano. Em fevereiro de 1975, a Infraero assumiu a administração do Aeroporto Marechal Rondon e deu início à execução de várias obras para atender as necessidades do complexo aeroportuário. A partir de 1996, o Aeroporto Marechal Rondon se tornou internacional.

Atualmente, estamos em fase de adequação da nossa estrutura. Por isso, o processo licitatório para início efetivo das obras de ampliação das instalações do aeroporto está em andamento. Serão ampliadas as áreas do terminal de passageiros, que será equipado com pontes de embarque/desembarque, área do estacionamento de veículos, ampliação do pátio estacionamento de aeronaves e das vias de acesso ao aeroporto. Conforme cronograma de execução as obras estarão prontas até o primeiro semestre de 2013.

Agora vocês conferem algumas informações técnicas sobre o aeródromo:

  • Sítio Aeroportuário – Área: 6.958.998,14 m²;
  • Pátio das Aeronaves – Área: 51.756,00 m²;
  • Pista – Dimensões(m): 2.300 x 45;
  • Terminal de Passageiros – Área(m²): 3.354,25 m²;
  • Estacionamento de Aeronaves – Nº de Posições: 15 posições;
  • Código ICAO/IATA: SBCY/CGB;

Companhias Aéreas:

  • Avianca
  • Gol
  • Passaredo
  • Trip
  • Tam
  • Asta
  • Azul

Fonte: Infraero

Maiores informações: Wikipédia

Fonte das Imagens: Google

————————————————————————-

E chegamos ao fim de mais um Aeródromo da Semana. O que achou? Tem mais informações para compartilhar conosco? Deixe nos comentários 😉

Sugestões para os próximos aeródromos? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Fábio Miguel

Aeródromo da Semana – Galeão

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Dando continuidade com os aeródromos do Rio de Janeiro, esta semana temos um dos principais aeroportos internacionais do país. Estamos falando dele: Galeão!

A história do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, na Ilha do Governador, como base de antiga aviação naval, começa em 1924 com a instalação da escola de aviação. Fundada em 1916, a Escola de Aviação Naval teve suas primeiras instalações na Ilha das Enxadas, em 1924, posteriormente transferidas para local mais amplo na vizinha Ponta do Galeão.

Ali surgiram hangares, oficinas, quartéis, alojamentos de oficiais e praças, além da primeira Fábrica Nacional de Aviões, que produziu em série o primeiro modelo brasileiro, os Muniz 5, 7 e 9. Ainda no Galeão, outras indústrias aeronáuticas produziam, sob contrato com entidades estrangeiras como a Foker holandesa e a Wulf alemã, aviões para aviação civil e militar. Também do Galeão saíram os primeiros Correios Aéreos Navais, em 1935.

A partir de 1945, o Galeão passou a ser, oficialmente, Aeroporto Internacional, uma vez que os antigos Hidroaviões da Pan American e da Condor, além de outras companhias, foram pouco a pouco substituídos nas rotas internacionais por aviões maiores, dotados de rodas, que precisavam de pistas em terra para pouso e decolagem. Os antigos “hidros” Sirorskys ou Junkers J-52, entre outros, cederam lugar aos Douglas DC-3 e DC –4  e Constelations da Lockheed.

Houve uma “estação de hidros”, ao lado do Aeroporto Santos Dumont, inaugurada em 1936, projetada pelo célebre arquiteto brasileiro Atílio C. Lima. Foi um dos primeiros prédios conceitualmente modernos construídos no Brasil. Desde os anos da Segunda Guerra Mundial, o Galeão foi além de movimentada base aérea da Força Aérea Brasileira(FAB), campo de pouso para aviões internacionais. Naquela época o acesso ao aeroporto fazia-se através de lancha, desde a estação de hidros até a ponte de desembarque do Galeão, de onde os passageiros seguiam até a aeronave em ônibus, pois não existia uma estação de passageiros.

A recepção continuou precária até 1950, quando o local para embarque e desembarque transferiu-se para o ouro lado da base, onde hoje funcionam escritórios de companhias cargueiras. Esse terminal, com diversas ampliações ao longo dos anos, foi substituído pelo atual Terminal Número 1, que agregou o que de mais atual havia na época de sua inauguração, em 20 de janeiro de 1977.

Como reflexo do impetuoso crescimento da aviação comercial do Brasil em 1992, com vistas a grande afluência prevista na ECO 92, foram reformadas todas as instalações do Terminal 1. Essa ampliação, que aumentou a capacidade desse terminal para sete milhões de passageiros ao ano, coincidiu com o início das obras do Terminal 2. Esse novo terminal, um dos mais modernos da América Latina, com capacidade de atender oito milhões de passageiros ao ano, foi inaugurado em 20 de julho de 1999, mais que duplicando a capacidade do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.

Atualmente, o Galeão passa por obras de reforma do Terminal 1 e conclusão do Terminal 2. Os investimentos estão sendo feitos para adequar o aeroporto à demanda projetada de passageiros. Com isso, ele estará capacitado também para atender o público dos eventos esportivos: a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Com a conclusão das obras, o aeroporto passará a ter capacidade para processar 26 milhões de passageiros por ano, o que significará uma melhoria na operacionalidade, e também um maior índice de conforto para os usuários.

Agora vocês conferem algumas informações técnicas sobre o aeródromo:

  • Sítio Aeroportuário – Área: 17.881.696,63 m²;
  • Pátio das Aeronaves – Área: 712.895 m ²;
  • Pista – Dimensões(m): 4.000 x 45 (10/28) e 3.180 x 47 (15/33);
  • Terminal de Passageiros – Área(m²): TPS-I: 147.834 e TPS-II: 132.847;
  • Estacionamento de Aeronaves – Nº de Posições: 35posições;
  • Código ICAO/IATA: SBGL/GIG;

Companhias Aéreas:

  • Aerolineas Argentinas
  • American Airlines
  • Air France
  • Avianca
  • British Airways
  • Continental
  • Copa Airlines
  • Delta Airlines
  • Gol/Webjet
  • Ibéria
  • Lan Chile
  • Lapsa-Air Paraguay
  • Pluna Lineas Aereas Uruguayas
  • Taag
  • Taca Peru
  • TAM
  • TAP
  • United Airlines
  • Us Airways

Fonte: Infraero

Fonte das Imagens: Google

————————————————————————-

E chegamos ao fim de mais um Aeródromo da Semana. O que achou? Tem mais informações para compartilhar conosco? Deixe nos comentários 😉

Sugestões para os próximos aeródromos? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Fábio Miguel

Aeródromo da Semana – Santos Dumont

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Hoje vamos inaugurar a participação dos aeródromos cariocas por aqui. E o sorteado da semana foi o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Um dos aeródromos mais movimentado do país, se não o mais movimentado.

Na década de 30 surgiu a necessidade de o Rio de Janeiro, então Distrito Federal, possuir um aeroporto que atendesse às demandas da época. Optou-se pela construção na Ponta do Calabouço, onde atracavam os hidroaviões de rotas nacionais e internacionais. As obras tiveram início em 1934, e o terrapleno, antes mesmo de ser concluído, já estava sendo utilizado. Em 1936, a área destinada a pousos e decolagens foi aberta para aparelhos de maior porte, viabilizando a inauguração do primeiro aeroporto civil do País.

O projeto elaborado para a Estação Central do Aeroporto Santos Dumont exigia uma construção de caráter monumental. As obras, iniciadas em 1940, devido à recessão causada pela Segunda Guerra Mundial, foram concluídas em 1947. A inauguração foi uma pequena solenidade, improvisada pelo então Diretor do Departamento de Aviação civil( DAC), engenheiro César Grillo, aproveitando a oportunidade de uma visita do Ministro da Aeronáutica, Armando Trompowski.

Para dar ainda mais conforto aos seus usuários, em 1977, foram realizadas obras de infraestrutura. Nos anos 80, o terminal já processava mais de um milhão de passageiros por ano. No início dos anos 90, dois andares foram acrescentados ao edifício para acomodar as necessidades de uma demanda cada vez maior. Em 13 de fevereiro de 1998, um incêndio destruiu 62 anos de história. A reconstrução aconteceu em tempo recorde e, 180 dias após o incêndio, o terminal voltou a operar. Optou-se por reformar o prédio de acordo com o seu projeto original, concebido pelos irmãos M. M. Roberto.

Desde 1999 a capacidade de atendimento estava superada, circulavam pelo terminal cerca de 17 mil passageiros por dia. Foi realizada, então, uma grande reforma de adequação e modernização das instalações e do sistema de pátios e pistas. Em 2001 a Infraero assina contrato com uma empresa de engenharia para proceder sua ampliação. Em 2003 iniciou uma grande obra de modernização, adequação e ampliação do terminal de passageiros, do pátio e das pistas.

Essa obra preservou a simetria da arquitetura dos primórdios de sua construção ao fundir com harmonia o velho e o novo, o antigo e o moderno. Em agosto de 2004, os vôos de média e longas distâncias foram remanejados para o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim/Galeão. Foi em maio de 2007, que deu início às operações assistidas do atual prédio de embarque, o aeroporto foi contemplado com novas rotas de vôos dentro do país .

A previsão do aumento de passageiros  pode atingir  a marca de 8 milhões e meio no final de 2010. Setenta e três anos após o início das operações, aquele que recebeu do Presidente Getúlio Vargas o nome do “Pai da Aviação”, mantém sua vocação de aeroporto central, voltado para as operações de curta distância.

Agora vocês conferem algumas informações técnicas sobre o aeródromo:

  • Sítio Aeroportuário – Área: 833.703 m²;
  • Pátio das Aeronaves – Área: 95.800 m²;
  • Pista – Dimensões(m): 1.323 x 42 m e 1.260 x 30 m;
  • Terminal de Passageiros – Área(m²): 19.000;
  • Estacionamento de Aeronaves – Nº de Posições: 20 posições;
  • Código ICAO/IATA: SBRJ/SDU;

Companhias Aéreas:

  • Avianca
  • Azul
  • Gol/Varig/Webjet
  • Passaredo
  • Tam
  • Team

Fonte: Infraero

Fonte das Imagens: Google

————————————————————————-

E chegamos ao fim de mais um Aeródromo da Semana. O que achou? Tem mais informações para compartilhar conosco? Deixe nos comentários 😉

Sugestões para os próximos aeródromos? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Fábio Miguel

Aeródromo da Semana – Guarulhos

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Está chegando mais um Aeródromo da Semana, onde toda semana trazemos para vocês a história de um aeroporto diferente. E nesta semana temos o principal aeroporto internacional do país: Guarulhos!

A construção do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos foi idealizada na década de 70. Estudos de engenharia produzidos por empresas nacionais e estrangeiras, e razões de ordem estratégica indicavam a conveniência de aliar os interesses da aviação comercial e da aviação militar. Daí, a decisão de construir o aeroporto compartilhado com a Base Aérea de São Paulo.

A Base Aérea de São Paulo foi criada em 1941 com a finalidade de defender o estado de São Paulo, o maior centro industrial do país, no período em que o mundo estava abalado pela II Guerra Mundial. Em 1940, as famílias Samuel Ribeiro e Guinle doaram para o governo uma grande área da Fazenda Cumbica para a construção da Base Aérea de São Paulo. Dois critérios foram considerados pelas famílias para a doação: a efetivação estava vinculada à construção de uma Base Aérea Militar e esta unidade deveria receber o nome de Base Aérea de São Paulo. A condição foi aceita pelo governo brasileiro.

Em 1977, após negociações, decidiu-se que o melhor lugar para a construção do Aeroporto Internacional era Cumbica. A partir daí, diferentes medidas foram tomadas pelo governo do Estado de São Paulo, entre elas, a desapropriação de áreas para a instalação do aeroporto que seria compartilhado com a Base Aérea de São Paulo.

Em 1980, começaram as obras do novo sistema aeroportuário. Em 1985, concluída a primeira fase do projeto, foi inaugurado o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos. Em 20/01/2010, o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos comemorou 25 anos de operações. Ao longo desse período, os números consolidaram a importância deste complexo aeroportuário: 285,6 milhões de pessoas embarcaram e desembarcaram pelos terminais de passageiros, através de 3,6 milhões de operações de pousos e decolagens que transportaram cerca de 8,2 milhões de toneladas de cargas.

Para atender essa demanda de passageiros e de cargas, a Infraero, empresa que administra o aeroporto desde sua inauguração, em 20/01/1985, planeja todos os processos de modernização e ampliação da sua infra-estrutura. Atualmente, o Aeroporto de Guarulhos opera com dois terminais. São 46 empresas aéreas nacionais e internacionais, regulares, cargueiras e charters que utilizam 286 balcões de check-in.

O sistema de pistas é formado por duas pistas : uma com 3.700 metros e outra de 3 mil metros de extensão que recebem, em média diária, 650 operações de pousos e decolagens de aeronaves. De Guarulhos partem e chegam vôos procedentes e com destinos a 27 países e 153 cidades nacionais e estrangeiras. Para atender os usuários do aeroporto, a rede comercial dos terminais de passageiros é formada por cerca de 198 pontos comerciais.

No setor de logística de carga aérea , a Infraero dispõe do maior terminal de logística da América do Sul com área de 97,8 mil metros quadrados, onde estão disponibilizados serviços de recepção, despaletização, unitização, movimentação e armazenagem de mercadorias oriundas dos setores de importação e exportação.

No ambiente de carga estão disponibilizadas dezesseis câmaras frigoríficas com capacidade de armazenagem de 7,6 mil metros cúbicos; sistema de armazenagem automatizada realizada por transelevadores com 17,3 mil posições; envelopadoras, instrumentos leitores óticos de código de barras, transferidores auto-propelidos, scanners, entre outros equipamentos. 

Agora vocês conferem algumas informações técnicas sobre o aeródromo:

  • Sítio Aeroportuário – Área: 13.774.086,00 m²;
  • Pátio das Aeronaves – Área: 468.110 m²;
  • Pista – Dimensões(m): 3.700 x 45 m e 3.000 x 45 m;
  • Terminal de Passageiros – Área(m²): TPS I: 87.850 e TPS II: 91.940;
  • Estacionamento de Aeronaves – Nº de Posições: 61 posições;
  • Código ICAO/IATA: SBGR/GRU;

Companhias Aéreas:

  • Air France
  • Aeroméxico
  • Aerolíneas Argentina
  • Avianca
  • Alitália
  • British Airways
  • Delta Airlines
  • Ibéria
  • KLM
  • United Airlines
  • TRIP
  • Puma Air
  • EL AL
  • Korean
  • TAM
  • Pantanal
  • Passaredo
  • Air China
  • GOL
  • Pluna
  • Turkish
  • TAAG
  • Webjet
  • Aerosur
  • American Airlines
  • Air Canada
  • Boliviana
  • Copa Airlines
  • Continental
  • Emirates
  • Lufthansa
  • LAN ( Lan Chile  / Lan Peru / Lan Argentina / Lan Express)
  • South African
  • Swiss
  • TAP
  • TACA
  • Qatar
  • ABSA
  • Air Brasil
  • Beta Cargo
  • Master Top
  • Total Express

Fonte: Infraero

Fonte das Imagens: Google

————————————————————————-

E chegamos ao fim de mais um Aeródromo da Semana. O que achou? Tem mais informações para compartilhar conosco? Deixe nos comentários 😉

Sugestões para os próximos aeródromos? Envie-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Fábio Miguel

 

Aeródromo da Semana – Afonso Pena

E aí Cmtes, tudo tranquilo? Maravilha!

Hoje, no Aeródromo da Semana temos um dos Aeroportos mais bem equipados do Brasil e também um dos principais aeródromos internacionais do país. Estamos falando do Aeroporto de Curitiba – Afonso Pena.

A área pertencente ao Aeroporto Afonso Pena se constitui em parte da área da Colônia Afonso Pena, ali implantada no início do século XX em homenagem ao sexto Presidente da República, Afonso Pena (1906 a 1909). Nessa ocasião, o Governo Federal desapropriou a área de uma fazenda, no município de São José dos Pinhais, propriedade de Matias Mendes. Dividiu-a em pequenas chácaras e assentou uma colônia de imigrantes poloneses e alemães que incentivados pela política de colonização para a agricultura ocuparam o local no início deste século.

Devido à entrada do Brasil na II Guerra Mundial, o Ministério da Guerra, através dos órgãos responsáveis pela aviação (que dariam origem ao atual Ministério da Aeronáutica), nos anos de 1940 a 1942 efetuou um minucioso levantamento da área dessa colônia, em função dos ventos dominantes. A área correspondente ao antigo Aeroporto Afonso Pena foi desapropriada para a construção das pistas de pouso, com o mesmo traçado hoje existente.

Em janeiro de 1946, com a guerra terminada, a aviação civil passou a operar efetivamente na Base Aérea Afonso Pena, moderna e recém construída. Operavam com voos regionais e internacionais, as seguintes companhias: VARIG – iniciada em 15 de janeiro de 1946 no Aeroporto de Bacacheri, com a linha Florianópolis/Porto Alegre/Pelotas/Jaguarão e Montevidéu; CRUZEIRO DO SUL; REAL – com vôos regionais e Assunção, em 1955; PANAIR – Assunção em 1946; AERONAVIS BRASIL – atendendo a linha Rio de Janeiro/Poços de Caldas e Porto Alegre, bem como linhas internacionais.

A construção original do Aeroporto Afonso Pena aconteceu de maio de 1944 a abril de 1945, e foi executada pelo Ministério da Aeronáutica em cooperação com o Departamento de Engenharia do Exército Norte-Americano. A Base Aérea Afonso Pena, como era conhecido o Aeroporto, tinha como finalidade servir de ponto estratégico para as operações aliadas durante a II Guerra Mundial. Construído nos últimos meses da guerra, o aeroporto foi pouco utilizado, prevalecendo posteriormente o uso pela aviação civil.

Quando a Base Aérea passou a atender a Aviação Civil, foi construída uma estação de passageiros que esteve em uso até 1959. Era dotada de bar, sala de espera, área ajardinada, escritório de administração e manutenção, bomba de gasolina, caixa d’água, farol, torre de controle (construída em madeira e com altura de 35 metros), balizamento de pista (luz amarela), gerador de energia alternativa, além de equipamento de rádio-transmissão-recepção.

Em 1959 o Aeroporto Afonso Pena era o quarto aeroporto em movimento de aeronaves, quando o Ministério da Aeronáutica precisou construir uma nova estação de passageiros com área de 2.200 metros quadrados. Este terminal de passageiros foi inaugurado em 05 de fevereiro de 1959, durante o Governo de Moysés Lupion. Era então Ministro da Aeronáutica o Brigadeiro Menescal. As obras executadas em 1959 permaneceram inalteradas até a década de 70.

A partir de 1974, Portaria n.º 120 Gm-5, de 03 de dezembro de 1973, definiu que o Aeroporto Afonso Pena fosse administrado pela Infraero. Em 1977, foi concluída a ampliação do terminal de passageiros, quadruplicando sua capacidade de atendimento, proporcionando mais conforto aos usuários e empresas áreas. Mesmo com todas as remodelações a ampliações efetuadas, as obras não foram suficientes para atender à demanda crescente de passageiros e cargas.

Em 1991, o aeroporto contava com um déficit operacional estimado em 40%. Começaram as obras de construção de um novo terminal de passageiros. O aeroporto foi o segundo no Brasil a contar com o Sistema Integrado de Tratamento de Informações Aeroportuárias – SITIA. Movimento de aeronaves, informações sobre voos, telefones internos e externos, circuito fechado de televisão e todas as operações do novo terminal estão interligadas, como ocorre nos aeroportos mais modernos do mundo.

O prédio onde funcionava o antigo terminal de passageiros foi totalmente reformulado para se tornar um moderno terminal de carga aérea, com uma área total de 12 mil metros quadrados. Com a construção do novo terminal e o aumento da demanda de passageiros, em 26 de junho de 1996 o Aeroporto Afonso Pena passou a ser internacional. Sua inauguração aconteceu no dia 26 de julho de 1996, com a presença do então presidente Fernando Henrique e do Ministro da Aeronáutica, Lélio Viana Lobo e do Presidente da Infraero,à época, Adyr da Silva.

E mais uma curiosidade do aeroporto: Meu professor de navegação uma vez me disse que o aeroporto foi construído para as guerras mundiais, como citado acima. A curiosidade é que ele foi construído nesta região por causa dos constantes nevoeiros, que escondem o aeroporto e com isso eles teriam uma “arma surpresa” caso alguém invadisse o Brasil por ali.

Agora vocês conferem algumas informações técnicas sobre o aeródromo (Não encontrei outras informações. O site da Infraero não disponibilizou informações como área, gates, tamanho das pistas):

  • Código ICAO/IATA: SBCT/CWB;

Companhias Aéreas:

  • Azul
  • Pluna
  • Passaredo
  • NHT
  • GOL/Varig/Webjet
  • OceanAir Linhas Aéreas
  • TAM
  • Trip
  • Sol
  • Cargo Lux

Fonte: Infraero

Fonte das Imagens: Google e SBCT Online

————————————————————————-

Esta foi a curiosa história do Aeroporto Afonso Pena em Curitiba – PR. O que achou da história? Compartilhe conosco nos comentários 😉

Sugestões para o próximo aeródromo? Deixe-nos um e-mail: blogfuturospilotos@gmail.com 😉

Futuro Piloto

Fábio Miguel